Conteúdo Digital, o que será tendência para 2018.

 

escrever sobre tendências é sempre complicado, muita gente pode questionar de onde vem esse exercício de “futurologia”. Ao falar de futuro é muito importante consultar o máximo de fontes possíveis.

Categoria: Marketing Digital

  • Cliecom
  • Postado: 13/12/2017 às 09:00:38

Segundo Edney “InterNey” Souza, escrever sobre tendências é sempre complicado, muita gente pode questionar de onde vem esse exercício de “futurologia”. Ao falar de futuro considero muito importante consultar o máximo de fontes possíveis, então além da minha experiência profissional esse artigo contém também informações da pesquisa que conduzi em parceria com a Hello Research para a Social Media Week São Paulo onde entrevistamos os participantes e palestrantes do evento. Também foram compiladas informações da Forbes, Content Marketing Institute e AdWeek entre outros veículos.

1. Alinhe seu conteúdo a jornada do consumidor e aos micro-momentos
Essa “tendência” já é um pouco velha, mas continua valendo para 2018. Muita gente ainda está produzindo conteúdo “aleatório” pensando apenas em engajamento e viralização, porém é fundamental ter uma estratégia que direcione os conteúdos.

Em geral uma jornada do consumidor possui 4 passos básicos:
• Descoberta – Quando falamos dos problemas do consumidor
• Consideração – Quando auxiliamos nosso público a escolher a solução de mercado mais adequada para os seus problemas
• Decisão – Momento em que tentamos convencer o leitor de que o nosso produto ou serviço é a melhor opção
• Satisfação – Quando escrevemos para quem já é nosso cliente Muitas empresas concentram seus esforços apenas na fase de decisão e escrevem somente sobre promoções, prazos de entrega, garantia e outros fatores importantes nessa etapa. Escrever pensando em engajamento e viralização, assim como falar sobre suas ofertas, não está errado, mas é importante refletir se você está produzindo conteúdo para cada uma das fases da jornada do consumidor.

E quando o consumo do produto acontece por impulso? Nesse caso é preciso cuidar de outro aspecto muito importante: os micro-momentos.

Os micro-momentos são organizados pelo Google em 4 categorias:
• Eu quero saber – Quando você usa o celular para descobrir imediatamente alguma informação.
• Eu quero ir – Quando você acessa seu celular procurando orientações sobre algum lugar.
• Eu quero fazer – Você já sabe o que quer e está procurando um aplicativo para executar uma tarefa específica.
• Eu quero comprar – Você tem um produto ou serviço em mente e está procurando uma oferta que atenda suas necessidades.
Esses micro-momentos acontecem durante sua jornada de casa até o trabalho, após o almoço, durante uma viagem de elevador, na cama após acordar, no banheiro, etc. Podem acontecer através de uma busca no Google, no YouTube, usando um aplicativo, etc.

A melhor forma de aproveitar os micro-momentos é pensar no dia-a-dia do seu usuário, quais as necessidades que são alinhadas com o seu negócio (saber, ir, fazer ou comprar), quais os locais e formatos, e checar se você está produzindo conteúdo para todos esses momentos.

2. Menor quantidade, maior qualidade
Duas consolidações importantes em 2017 apontam para essa tendência:
• Algoritmos nas redes sociais filtrando o conteúdo irrelevante.
• Buscas no Google priorizando a profundidade do conteúdo.
Muitos vão dizer que o Facebook e o Instagram filtram conteúdo de empresas para ganhar mais com anúncios, porém a realidade é que ambos se esforçam para mostrar aquilo que “vicia” o usuário. Conteúdo que vai fazer com que as pessoas voltem no Face e no Insta várias vezes ao dia. Se as pessoas ficam muito tempo nas redes sociais isso aumenta o interesse das marcas em anunciarem.

Para ganhar a guerra dos algoritmos vale mais a pena produzir conteúdo de maior qualidade do que em grande quantidade. Produzindo conteúdo de maior qualidade você também aumenta suas chances de aparecer nas buscas do Google.

Ué? Mas não foi sempre assim? Na verdade até pouco tempo ainda tinham muitos “truques” técnicos que você podia recorrer para se posicionar nos buscadores e também era recomendado produzir vários conteúdos por dia nas redes sociais. Hoje é melhor não publicar nada do que publicar um conteúdo “ruim” que vai gerar pouco engajamento.

3. Seja multimídia, principalmente vídeo
Um post no blog com imagens e vídeos vai gerar muito mais interesse no seu leitor do que um texto simples. Testar diferentes formatos nas redes sociais é fundamental para entender o que funciona melhor com o seu consumidor.

Algumas dicas para você brincar com formatos além do texto:
• Áudio – Você pode trabalhar através de podcasts
• Imagens – Além de ilustrações para o seu post use fotos do seu dia-a-dia e infográficos
• Vídeo – Vídeos no YouTube podem facilmente ser adicionados no seu blog. Você ainda pode fazer Lives em diversas redes

Vídeo tem sido um dos conteúdos mais profetizados como tendência para crescimento em 2018, o que é natural se pensarmos que a maior parte do nosso entretenimento durante muitos anos foi televisão o que acabou nos habituando com o vídeo. Além disso a principal plataforma de remuneração de criadores de conteúdo atualmente é o YouTube, o que faz com que as nossas mentes mais criativas estejam lá fora se esforçando para fazerem vídeos cada vez mais viciantes.

Nos sites estrangeiros há uma grande ansiedade também pelo áudio, por lá a busca por áudio tem se tornado bastante popular em função do alto volume de venda do Amazon Echo, aqui no Brasil temos visto um crescimento do consumo de podcasts desde 2015 que se acentuou bastante em 2017 então talvez exista um novo hábito de interação e consumo de informação que possa migrar para áudio nos próximos anos.

4. Conteúdo permanente no seu blog e passageiro nas redes sociais
Quando falamos de conteúdo passageiro estamos falando das famosas Stories, que apesar de não surgiram em 2017, certamente se tornaram imensamente populares esse ano.

Em 2017 o Whatsapp ganhou um recurso de Stories (Status) em fevereiro e o Facebookpassou a exibir Stories em março, recentemente até o Netflix e o YouTube lançaram Stories.

Com o crescente volume de produção de conteúdo mundialmente faz muito sentido popularizar um formato onde o conteúdo desaparece depois de 24 horas. Mesmo o conteúdo das timelines nas redes sociais dificilmente é acessado no futuro.

Já no blog ou no YouTube preciso lembrar que o conteúdo, além de ser compartilhado nas redes sociais, vai servir para ser indexado e buscado posteriormente. Às vezes um conteúdo continua recebendo visitas regularmente mesmo depois de vários anos. Por isso faz sentido pensar no conteúdo do blog como permanente.

Ao escrever uma artigo pense sempre no quão útil ele será num futuro próximo e num futuro distante. Se não for para ser relevante por no mínimo algumas semanas talvez valha a pena transformá-lo em um conteúdo passageiro de redes sociais.

5. Nichos, Comunidades e Influenciadores
Além de se focar em conteúdo de maior qualidade outra forma fundamental de se destacar é se especializar em um nicho. Como disse anteriormente tem muita gente produzindo conteúdo por aí e ser uma referência em uma área específica é uma forma de garantir mais atenção.

Para se especializar no seu nicho tenho 2 dicas importantes:
• Criar ou Participar de Comunidades
• Se relacionar com Influenciadores
Quando falo de comunidades não é necessariamente os grupos de Facebook ou LinkedIn, esses também sofre com o problema do algoritmo das redes sociais. Grupos de e-mails também acabam caindo muitas vezes no SPAM, porém nem tudo está perdido.

Grupos de WhatsApp ainda tem funcionado muito bem, a dica é participar somente de grupos que realmente lhe interessam, não fazer spam nesses grupos (tenha certeza de que sua mensagem é bem recebida) e silenciar os grupos que não são importantes para manter sua sanidade.

Além disso outra maneira de criar uma comunidade é usando o Talkative. Esse aplicativo é direcionado para empresas criarem comunidades com os seus usuários como forma de alternativa as plataformas de redes sociais.

Porém ficar o alerta, não adianta usar WhatsApp ou Talkative e continuar produzindo conteúdo irrelevante para o usuário, as pessoas vão simplesmente te silenciar, excluir ou ignorar.

Para ter uma ideia do que é conteúdo relevante na sua área sugiro pesquisar e se relacionar com influenciadores, observar como eles produzem conteúdo pode ser um ótimo aprendizado, afinal de contas são pessoas que sem investimento em publicidade conquistaram milhares ou milhões de seguidores e conseguem uma grande exposição dos seus conteúdos.

Fonte: br.blog.wordpress.com